Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 24 DE NOVEMBRO DE 2017

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  23/11/2017   Sysmex é eleita a empresa mais inovadora do mundo em saúde pela revista Forbes - Pelo segundo ano consecutivo, a revista Forbes, uma das ...     23/11/2017   Scania implanta na Colômbia o primeiro sistema de transporte público 100% sustentável da América Latina - Case inovador será apresentado ...     23/11/2017   Obras da CCR MSVia na BR-163/MS obrigam a operações pare-e-siga - A CCR MSVia alerta aos usuários que algumas obras e serviços na BR-163/...     23/11/2017   Instituto CCR e CCR SPVias levam "Teatro a Bordo" para Cesário Lange - Projeto estacionou na cidade no dia 20 e encerra as atividades no ...     23/11/2017   RGE instala dois novos alimentadores de energia em Cachoeirinha - Investimentos, que também contemplaram troca de postes, fazem parte de ...     23/11/2017   CCR NovaDutra inicia obras de construção de passarela em Queimados (RJ) - Passarela será construída sobre a via Dutra; a previsão é que o...     23/11/2017   RGE finaliza etapa de fortalecimento da rede em Nova Prata - Ações da companhia se centraram na troca de postes, fortalecendo o sistema d...     23/11/2017   RGE fortalece o sistema de distribuição de energia em Charrua - Ações da concessionária do Grupo CPFL incluem troca de postes, instalação...     23/11/2017   CART realiza testes de saúde e orienta motoristas sobre direção segura em Prudente - Ação “Saúde e Cidadania” será realizada no sábado, ...     23/11/2017   Instituto CCR apoia ação Policiais contra o Câncer Infantil em MS - Neste Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil, 23/11, o Instituto ...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

09/02/2017

Brasil abre queixa na OMC contra subsídios do Canadá à Bombardier

Comex - Mundo

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

?

0 votos

Queixa na entidade acusa o país de distorcer a indústria aeroespacial global com subsídios concedidos à fabricante de aeronaves.

O governo brasileiro entrou nesta quarta-feira (8) com uma queixa contra o Canadá na Organização Mundial do Comércio, acusando o país de distorcer a indústria aeroespacial global com subsídios concedidos à fabricante de aeronaves Bombardier , principal concorrente da brasileira Embraer .

O pedido de consultas aberto questionará mais de 30 programas canadenses de apoio à Bombardier, disse o subsecretário-geral de Assuntos Econômicos e Financeiros do Itamaraty, embaixador Carlos Márcio Cozendey.

De acordo com o embaixador, os programas vão desde financiamentos à pesquisa e inovação, isenção de impostos territoriais até aportes diretos de recursos na empresa, somando US$ 4 bilhões.

"Alguns são proibidos pelas normas da OMC, como os vinculados à exportação. Outros são permitidos, mas não a ponto de causar efeitos adversos a outros competidores", explicou Cozendey.

Aporte bilionário

Um dos principais pontos questionados pelo governo brasileiro é o aporte de US$ 2,5 bilhões feito à Bombardier pelo governo da Província de Quebec. Parte desses recursos foram usados para formar uma empresa dedicada exclusivamente ao desenvolvimentos dos jatos C-Series – projeto que estava atrasado e com dificuldades de financiamento

Segundo as informações levantadas pelo governo brasileiro, o governo de Quebec formou uma joint venture com a Bombardier, ficando com 49% das ações da empresa. "O C-Series é mais um jato do governo de Quebec que da Bombardier", disse o embaixador.

A outra parte foi um aporte de US$ 1,5 bilhão feito à Bombardier Transportation UK, uma empresa que, segundo o Itamaraty, não precisaria de recursos novos. "As indicações que temos é de que os recursos foram para financiar a empresa como um todo", afirmou Cozendey.

A Embraer apoiou o pedido de consultas do governo brasileiro.

"A companhia canadense continua recebendo subsídios do governo local. Isso foi fundamental para o desenvolvimento e sobrevivência do programa C-Series, além de permitir à Bombardier oferecer suas aeronaves a preços artificialmente baixos", disse o presidente da Embraer, Paulo Cesar Silva, em comunicado.

O ministro de Inovação do Canadá, Navdeep Bains, anunciou na terça-feira um pacote de ajuda a fabricantes de aeronaves, com empréstimos no valor total de 283 milhões de dólares à Bombardier, com juros zero. A nova ajuda à empresa deve ser somada ao pedido de consultas brasileiro como mais um subsídio.

Fontes do governo canadense ainda disseram à Reuters que há espaço para novos empréstimos à empresa, em caso de necessidade.

O governo brasileiro vem observando as ações do governo canadense em favor da Bombardier nos últimos anos. No entanto, sem o C-Series pronto, não havia indícios de prejuízo direto à Embraer.

"A razão porque o caso só surgiu no ano passado é porque a aeronave ficou pronta e a Bombardier começou a ganhar licitações beneficiada por esses preços artificiais", afirmou o embaixador, citando uma licitação da companhia americana Delta Airlines, em abril do ano passado.

A licitação, de 5,6 bilhões de dólares, foi vencida pela Bombardier, que vendeu 75 aviões C-Series CS100 à Delta Airlines, com uma opção de compra de mais 50. De acordo com Cozendey, a própria Delta confirmou que a disputa foi vencida pela empresa canadense pelo baixo preço ofertado.

"Inclusive no balanço da Bombardier parte dessas vendas foi registrada como perda", ressalta o embaixador.

De acordo com dados levantados pela Embraer, neste ano serão realizadas outras concorrências da proporções similares à realizada pela Delta em 2016, em que a empresa brasileira pode ser diretamente prejudicada se a Bombardier mantiver os preços artificialmente baixos.

"Todas as formas de apoio fornecidas à Bombardier, incluindo as contribuições do programa reembolsável anunciadas pelo governo federal ontem e o investimento do governo de Quebec ... estão totalmente de acordo com as obrigações comerciais internacionais do Canadá", disse a Bombardier em comunicado.

A empresa comparou esse financiamento a empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a Embraer e a um investimento da Força Aérea Brasileira no novo jato militar de carga da empresa brasileira.

"A indústria aeroespacial é fortemente subsidiada em todo o mundo", disse a advogada Renata Amaral da consultoria brasileira Barral M Jorge & Associates. "O problema é quando os subsídios atingem um grau que começa a criar distorções no mercado."

O pedido formal de consultas --primeiro passo para a abertura de um painel no sistema de solução de controvérsias da OMC-- foi apresentado nesta quarta-feira e os dois países têm 60 dias para apresentar explicações e tentar um acordo, o que dificilmente ocorre.

Cozendey disse que o Brasil estará disposto a encontrar uma solução antes do painel. Mas ressalta que o Canadá não admite qualificar alguns dos programas como subsídios.

O impasse deve levar a criação de um painel na OMC, que terá nove meses para tomar uma decisão, e o país derrotado ainda terá um prazo para recorrer.

A advogada Renata Amaral, que assessorou o Brasil em casos anteriores da OMC, disse que uma decisão sobre a atual disputa provavelmente se estenderá até 2018.

Em julho de 2016, a Reuters adiantou a informação de que o Brasil planejava questionar o Canadá na OMC. Em entrevista, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, disse à Reuters que o aporte de capital canadense atingia diretamente as perspectivas da Embraer no mercado internacional.

Em dezembro deste ano, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) autorizou abertura do procedimento contra o Canadá a favor da Embraer

  • OMC
  •  

    Por Por G1 - REUTERS

     

    Qual a sua avaliação?

    0 Comentários - Faça o seu comentário

    Voltar

    Compartilhar

    Clique para ampliar

    Leia Também

    Petróleo abre em baixa em Nova York, a 56,08 dólares o barril

    Cresce a pressão contra a exploração de Petróleo na Bacia do Alentejo, em Portugal

    Alemanha criou uma cidade verde e inovadora em nove anos

    CONSÓRCIO CONCLUIU PERFURAÇÃO DE POÇO DE 15 MIL METROS NO CAMPO DE CHAIVO

    Nissan atinge exportações de 20 mil veículos

    Sysmex é eleita a empresa mais inovadora do mundo em saúde pela revista Forbes

    Scania implanta na Colômbia o primeiro sistema de transporte público 100% sustentável da América Latina

    Obras da CCR MSVia na BR-163/MS obrigam a operações pare-e-siga

    Instituto CCR e CCR SPVias levam "Teatro a Bordo" para Cesário Lange

    RGE instala dois novos alimentadores de energia em Cachoeirinha

    Mais...

     

    Este site possui suporte ao formato RSS



    Notícias em Tempo Real

       

    Google
    Pesquisa personalizada

           

     Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

    Intelog - Inteligência em Gestão Logística