Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 22 DE SETEMBRO DE 2017

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  21/09/2017   DNIT contrata dragagem de manutenção do Rio Taquari no Rio Grande do Sul - O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNI...     21/09/2017   Privatização dos Correios está sendo estudada "com muito cuidado", diz Meirelles - Ministro também afirmou que a possibilidade de IPO tam...     21/09/2017   Celular é a terceira maior causa de mortes no trânsito no Brasil, diz pesquisa - Uso de celular no volante resulta em 150 vítimas por dia...     21/09/2017   ERS-235 recebe reparos profundos - No trecho do km 58 foram feitos reparos em uma faixa de 40 metros de comprimento e 3,5 metros de largura.     21/09/2017   Pista da ERS-149 começa a ser restaurada - Serviços do Crema Santa Maria – Cachoeira do Sul estão concentrados entre a BRS-392 e Formigue...     21/09/2017   Tarifas aéreas apresentam queda após fim da franquia de bagagem - Levantamento da Abear com dados preliminares aponta redução de 7% a 30%...     21/09/2017   Indenizações por morte no trânsito sobem 42% no Brasil - Foram 4.595 indenizações pagas para herdeiros de pessoas que morreram em ocorrên...     21/09/2017   Nova edição do “Acorda Motorista” é realizada durante a Semana Nacional de Trânsito - Testes de saúde e orientações de segurança foram of...     21/09/2017   Tecnologia inovadora para centros de logística e distribuição. Gocil lança solução em segurança para o setor - Com um investimento de cer...     21/09/2017   RGE Sul já investiu R$ 3,2 milhões em Sapiranga este ano - Obras incluem uma linha de transmissão, expansão para novas ligações, troca de...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

20/03/2017

ANP: produtores de etanol têm até agosto de 2017 para se enquadrar

Artigos / Entrevistas

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

?

0 votos

Passados mais de 40 anos da criação do Pró-Álcool – Programa Nacional do Álcool, as empresas produtoras de etanol terão de encarar em 2017 um novo e importante desafio: enquadrar sua gestão às exigências estabelecidas para o setor pelas novas normas da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Em 2011, o governo federal publicou a medida provisória nº 532, consolidada pela Lei Federal 12.490/2011, que alterou as atribuições da ANP. A partir da nova legislação, foram incluídas no rol de responsabilidades da agência as seguintes atribuições: “regular as atividades e garantir o fornecimento nacional de biocombustíveis, inclusive de etanol; promover a competitividade no mercado internacional; e atrair investimentos”, entre outras.

Desde aquela ocasião, a ANP passou a realizar estudos e pesquisas sobre o setor produtivo de etanol, não somente para conhecer seus agentes econômicos, como também para entender a realidade e tendências deste mercado.

Ao final de agosto de 2012, o órgão regulador publicou a Resolução ANP 26, que estabeleceu um prazo de cinco anos para os produtores de etanol se adequarem integralmente aos termos nela inseridos. Desta forma, a data limite para o cumprimento de todas as exigências estabelecidas pelo documento é 31 de agosto de 2017.

Faltando poucos meses para que o prazo expire, sabe-se que apenas uma pequena parcela das usinas e grupos produtores de etanol está adequada às normas estabelecidas pela resolução. De acordo com o último levantamento estatístico da ANP, esta parcela representa somente 5% do segmento.

É essencial, portanto, que os gestores do setor sucroenergético se apressem em diagnosticar a situação de suas empresas, avaliem a situação individual de cada planta e passem a adotar as soluções exigidas para cumprimento das exigências estabelecidas pela nova regulamentação setorial.

De modo geral, o tema central da Resolução ANP 26/2012 é garantir a segurança industrial e a proteção ambiental na produção de etanol. Realizar uma transição bem sustentada para o cumprimento das regras que guiarão o setor a partir de setembro próximo é determinante para manter a estabilidade do mercado de produção de etanol. Caso os gestores não percebam a importância de estarem em compliance com as exigências regulatórias, podem haver impactos significativos no setor.

Um efeito bastante visível em relação ao eventual não cumprimento das novas regras do órgão regulador é o fato de que as usinas passarão a estar sujeitas a receber multas vultosas por descumprimentos que sejam flagrados pela fiscalização da agência.

É importante perceber também que tratar de segurança industrial não é somente atuar na integridade mecânica das plantas, treinar o pessoal, gerar eficiência operacional, elaborar plano de respostas às emergências, entre outros aspectos relevantes. Deve-se, sobretudo, desenvolver uma nova cultura nas organizações com base em riscos e na prevenção de incidentes.

Em setores industriais mais maduros, percebe-se que a cultura de segurança já é uma realidade, visto que o tema tem sido tratado em diversos fóruns com a participação dos órgãos reguladores e fiscalizadores. Desta forma, é recomendável que o setor sucroenergético, seguindo as tendências que estão em consolidação no mundo todo, adote a integração entre os elementos críticos de segurança industrial e a cultura de segurança, aliada a uma governança atuante e comprometida.

Na visão dos especialistas da Deloitte, as empresas produtoras de etanol devem estar preparadas para esse momento de transição, promovendo um diagnóstico profundo para identificar lacunas, estudar as melhores opções de caminhos a serem percorridos de acordo com as características de cada empresa e, então, encaminhar a tempo as soluções voltadas ao cumprimento das exigências estabelecidas pela ANP.

Torna-se essencial, desta forma, uma movimentação emergencial por parte dos produtores de etanol em busca da conformidade aos requisitos da Resolução ANP 26/2012, evitando, assim, que fiquem sujeitos a penalidades, interdições de plantas, suspensão de autorização de operação e demais sanções cabíveis.

Sobre a autora: Karla Costa é gerente de Sustentabilidade e Saúde, Segurança e Meio Ambiente da Deloitte Brasil

Fonte: TN Petróleo – Karla Costa

 

Por TN Petróleo – Karla Costa

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Compartilhar

Clique para ampliar

Leia Também

Internet das coisas: a revolução ainda está por vir

Satisfação do Cliente

VINTE ANOS DO CÓDIGO DA VIDA

OMC: a derrota anunciada

TRÂNSITO NO BRASIL: UM ASSUNTO PARA EGOÍSTAS

DNIT contrata dragagem de manutenção do Rio Taquari no Rio Grande do Sul

Privatização dos Correios está sendo estudada "com muito cuidado", diz Meirelles

Celular é a terceira maior causa de mortes no trânsito no Brasil, diz pesquisa

ERS-235 recebe reparos profundos

Pista da ERS-149 começa a ser restaurada

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística